terça-feira, 4 de junho de 2013

Tudo o que somos. Quem somos?

O tempo lá fora bruscamente muda. Muda, surda, cega, e sem tato. Esmorece...e se engrandece. Grita até ao anoitecer. Ensurdece...cai moribundo. Moribundo? Sonho natimorto? Se quer nasceu. Não morreu. Regenera-se de um aborto mal sucedido. Mal sucedido...hehehhe esses são os reais. Frutos de abortos mal sucedidos. Que o tempo...que certas coisas da vida...que as frases pessimistas,que os realistas tentam,porem em vão, abortar. O que há de mistério? De curiosamente atraente nisso? Morbidez que não faço questão de querer elucidar. O tempo lá fora se mescla a toda hora. E aqui dentro não? Lógico que sim...lógico que não...talvez...talvez + 1,14...talvez e 1/3. Como se existisse razão. Flutuamos por aí... No momento flutuo por aqui. Recolhendo moléculas de mim... E de filosofias baratas, que não evitam o não,muito menos o sim. O que somos? se não pedaços de sonhos desfeitos, refeitos, rarefeitos, costurados a outros sonhos e atitudes? ás vezes nas devidas proporções. Às vezes desproporcionais. Às vezes do tamanho do mundo.As vezes do tamanho de um alfinete,super denso e em fusão, semelhante a um pequeno universo prestes a explodir e se expandir. Ele é do tamanho que você quiser que ele seja. Recolho todo o meu universo. Estou a colar as moléculas, uma a uma. Não é a primeira vez. Mas faço isso por gostar de mim, e de você. Nossos sonhos são interligados. Quem somos? Somos tudo o que somos. Mesmo recortados,recolados e reiniciando.

Nenhum comentário: