sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Apaixone-se pela Vida!


A coragem de se apaixonar, Hilda Lucas (Revista Lola)

Não adianta, a paz não é suficiente. Já se perguntava Riobaldo: "Se a paz é boa? Então, como é que ela enjoa?". Acho que os corajosos e os lúcidos deveriam rezar assim: Senhor, protege-me das prisões do comodismo, da plenitude e da estagnação. Dá-me coragem, loucura e tesão para viver sem medo de mim e dos meus sonhos. Dá-me asas e ventos, insônias e angústias, inquietações e algum sofrimento, para que possa dizer sim à Vida.

Coragem é a maior das virtudes. É preciso muita coragem para se viver perigosamente, principalmente quando o perigo está na acomodação e na segurança. Sim, existe grande risco para a alma quando nos sentimos aprisionados por nossas conquistas, nosso cotidiano tão bem organizado, nossos "scripts engessados". É como olhar o oceano por uma pequena janela, ver apenas uma nesga do horizonte, e acreditar que a imensidão está dentro das paredes e não explodindo fora delas. É como traçar voos dentro de gaiolas luxuosas, e tentar se convencer de que o brilho das coisas tangíveis é mais bonito que o das estrelas ermas no céu.

Se, por um lado, queremos tranquilidade, proteção e prosperidade, por outro, queremos plenitude, renovação e vertigem. Somos híbridos, feitos de muitas matérias e vocações: parte, como os minerais e vegetais, que se confundem com a terra e nos fazem assentar, e outra parte, como os sonhos e os deuses, que nos arrancam das nossas vidas previsíveis e nos elevam. Somos alternância entre escassez e abundância, lacuna e transbordamento, assentamento e desassossego. Somos inconstantes, graças à vida!

De repente, sua vida está perfeita como num anúncio de margarina, mas você se sente desmotivada e desperdiçada. É como se a vida de verdade estivesse acontecendo lá longe, e você estivesse à margem, assistindo de camarote, sem dançar. De repente, você chega "lá", mas não está satisfeita. De repente, você se lembra daquele mestrado que você adiou; do ano sabático que você sempre quis tirar; ou, simplesmente, tem uma ideia louca, e pensa: "Por que não?". De repente, você percebe que sua vida envelheceu ou estagnou, que você até gosta da sua vida, mas sente uma incompletude, uma vontade de gostar dela mais ainda. Não há nada de errado com você. Muito pelo contrário. É pura sanidade.

Se a paz é respiro e refrigério, a paixão é movimento e animação. Pode ser paixão por alguém, por uma ideia, um projeto, mas melhor ainda quando é pela própria vida. A paixão pela vida nos dá coragem, nos transforma em quem queremos ser, nos arranca da mediocridade, da mesmice e nos convoca a reescrever novos capítulos.

Acho que os sonhadores e os atrevidos deveriam rezar assim: Desperta-me, Senhor! Sopra-me palavras inéditas, inspira-me com lampejos e intuições. Tira-me dos sérios, dos trilhos, da forma. Dá-me sobressalto e suspiros, desvarios e fomes. Dá-me plena posse de mim mesma, para o bem e para o mal.

O inconformismo é como uma canção interna, que faz você lembrar quem você realmente é; é como um rio, que, mesmo represado, intui o mar. É esse anseio, essa borbulha na alma, que nos faz buscar o novo, o movimento, o entusiamos; que nos faz trocar a monotonia das horas e a opacidade do olhar pela aventura das novas escolhas e a ousadia de dar guinadas no caminho.

Gosto de pensar que, quando assumimos chamados, aceitamos desafios, viramos a mesa ou trocamos a cor dos nossos cabelos, estamos dizendo sim à vida, beijando a vida na boca, apaixonadamente. São pequenos ou grandes gestos, mudanças profissionais, rompimentos, ajustes de rota, faxinas, decisões de Ano-Novo, quebras de parâmetro, loucuras, alforias. O que você ganha? Brilho no olho, inteireza da sua alma, delícias e agonias de ser dona da sua vida, e pode recitar Henley como o Nelson Mandela: "Sou o mestre do meu destino, o capitão da minha alma".

Acho que os destemidos e os ávidos deveriam rezar assim: Assombra-me, Senhor! Não permita que eu me afaste do que me identifica, que eu esqueça o que me alegra ou cale o que me traduz. Insufla-me, instiga-me, exige-me ser. Livra-me dos boicotes e adiamentos que eu mesma me imponho. Dá-me paz e paixão, alternadamente, como a chuva e a estiagem - já que uma só existe quando a outra desiste. Faz-me entender que há mais dano no medo de viver que no medo de morrer.

Cada vez que dizemos sim à vida ou pelo menos, por que não, fazemos girar a roda da fortuna, expandimos nossos limites, reconhecemo-nos nos espelhos da alma e, depois, exaustas e felizes, sorrimos para nós mesmas. Lá estamos nós, inteiras! Inspiradas e apaixonadas, mais uma vez.

domingo, 18 de dezembro de 2011

A história do Bambú Chinês.



Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada por aproximadamente 5 anos, exceto um lento desabrochar de um diminuto broto a partir do bulbo.

Durante 5 anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas... uma maciça e fibrosa estrutura de raiz que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída.

Então, no final do 5º ano, o bambu chinês cresce até atingir a altura de 25 metros.

Um escritor de nome Covey escreveu:

"Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês. Você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento, e às vezes não vê nada por semanas, meses ou
anos. Mas se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5º ano chegará, e com ele virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava..."

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos e de nossos sonhos... Em nosso trabalho especialmente, que é um projeto fabuloso que envolve mudanças de comportamento, de pensamento, de cultura e de sensibilização,devemos sempre lembrar do bambu chinês para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.
Procure cultivar sempre dois bons hábitos em sua vida: a Persistência e a Paciência, pois você merece alcançar todos os seus sonhos..!!!

"É preciso muita fibra para chegar às alturas e, ao mesmo tempo, muita flexibilidade para se curvar ao chão."

sábado, 17 de dezembro de 2011

Apenas ame!

Covardia meu Deus...depois do aconteceu Hoje...Parar um carro tocando "pais e filhos" em frente ao meu prédio??? e vocÊ sabe que Legião Urbana me deixa "deprê"...



É preciso amar as pessoas
Como se não houvesse amanhã
Porque se você parar pra pensar
Na verdade não há.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

domingo, 11 de dezembro de 2011

Lenda chinesa sobre o amor...



Uma lenda chinesa conseguiu explicar de uma maneira bonita e muito convincente:
Os polegares representam os pais. Os indicadores representam teus irmãos e amigos.O dedo médio representa a você mesmo.
O dedo anelar (quarto dedo) representa o seu cônjuge. O dedo mindinho representa seus filhos. Agora junte suas mãos palma com palma, depois, une os dedos médios de forma que fiquem apontando a você mesmo, como na imagem….
Agora tenta separar de forma paralela seus polegares (representam seus pais) você vai notar que eles se separam porque seus pais não estão destinados a viver com você até o dia da sua morte. Una os dedos novamente.
Agora tenta separar igualmente os dedos indicadores (representam seus irmãos e amigos), você vai notar que também se separam porque eles se vão, e tem destinos diferentes como se casar e ter filhos.
Tente agora separar da mesma forma os dedos mindinhos (representam seus filhos) estes também se abrem porque seus filhos crescem e quando já não precisam mais de nós se vão, una os dedos novamente.
Finalmente, tente separar seus dedos anelares (o quarto dedo que representa seu cônjuge) e você vai se surpreender ao ver que simplesmente não consegue separá-los.

Isto se deve ao fato de que um casal está destinado a estar unido até o último dia de suas vidas, e é por isso que o anel se usa neste dedo.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Seja idiota...



Tá...nem tanto,só um pouquinho... ^^

domingo, 4 de dezembro de 2011

I'll do my crying in the rain...



I'll do my crying in the rain.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Três apitos...



Música linda de Noel Rosa!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Florais...



"A Vida não espera de nós sacrifícios inatingíveis, ela apenas pede que façamos nossa jornada com alegria em nosso Coração e para ser uma benção para todos aqueles que nos rodeiam. Se nós fazemos o mundo melhor com a nossa visita, então nós cumprimos a nossa missão.”


"Tudo o que nós temos a fazer é preservar nossa personalidade, viver a nossa própria vida, ser o capitão do nosso navio e tudo ficará bem..."

(Edward Bach)

sábado, 12 de novembro de 2011

O mundo é um moinho - The world is a mill






"the world is a mill
Will crush your dreams so greedy
It will reduce the illusions to dust."

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Simplicidade...



Simplicidade é tudo.É tudo o que eu desejo para mim e para todos ao meu redor.É tudo o que busco,é tudo que de verdade quero para o meu coração. A única coisa que se leva da vida é a vida que se leva,já diziam os "antigos". Relaxe, aproveite, dê importancia ao que é REALMENTE importante: a felicidade.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Nelson: o que é o amor ???



O que é o amor, Nelson?

- Eu sou um romântico num sentido quase caricatural. Acho que todo amor é eterno, e, se acaba, não era amor. Para mim, o amor continua além da vida e além da morte. Digo isso e sinto que se insinua nas minhas palavras um ridículo irresistível, mas vivo a confessar que o ridículo é uma das minhas dimensões mais válidas.

( Clarice Lispector em entrevista com Nelson Rodrigues )

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A Fábula do Porco-espinho.



A Fábula do Porco-espinho.

Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor.
Por isso decidiram se afastar uns dos outros e começaram de novo a morrer congelados.
Então precisaram fazer uma escolha: ou desapareciam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.
E assim sobreviveram.

Moral da História
O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro, e admirar suas qualidades.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Air Supply



Essa música é piegas e tudo mais...
Porém também é linda e faz parte das "minhas memórias de infância".
Quando meus pais e eu íamos fazer compra no super mercado sempre tocava essa música, e isso ficou gravado em minha memória.
Engraçado como coisas aparentemente "banais",ficam pra "vida toda".

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

NÃO DEIXE O AMOR PASSAR


Não Deixe o Amor Passar

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração "parar de funcionar" por alguns segundos,preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles,
fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.
Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento,perceba: existe algo mágico entre vocês.Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça! Deus te mandou um presente: O Amor.
Por isso, preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia-a-dia
o deixem cego para a melhor coisa da vida: O AMOR!!!


(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Tempos "modernos"...


ANÁLISE SOCRÁTICA DOS TEMPOS ATUAIS

FREI BETO

Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'. Comemorei: 'Que bom então de manhã você pode brincar dormir até mais tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã...' 'Que tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina', e começou a elencar seu programa de "garota robotizada".

Fiquei pensando: 'Que pena, a Daniela não disse: 'Tenho aula de meditação!'

Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados.

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à "malhação do espírito".

Acho ótimo! vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'. 'Olha uma maravilha, não tinha uma celulite!' Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

A palavra hoje é 'entretenimento' ; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!' O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping Center. É curioso: a maioria dos shoppings centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas.

Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...

Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: 'Estou apenas fazendo um passeio socrático.' Diante de seus olhares espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia:

- "Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz !"

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Yes!



Esse filme é muito bom! Interessante mesmo!
Está enganado quem acha não ser possível acrescentar algo "novo" na vida ao assistir um "enlatado americano".
Não é questão de auto-ajuda (tá bom,é um pouco sim...),mas fato é que esse filme evindencia o poder que uma simples palavra (ou atitude) pode ter em sua vida.
Seja qual for essa palavra,ou atitude.
A verdade é: quando você está consonante com VOCÊ, com a sua evolução pessoal,e consequentemente com o seu bem-estar,é possível aprender e tirar lições dos mais diversos "lugares" e situações.Aprender com os próprios erros,e mais além: aprender com os "erros" dos outros também,por que não?

Para muitos,apenas essa "tomada de consciência" de que o nosso principal propósito nessa vida é APRENDER, seja no âmbito espiritual,ou simplesmente social (pra quem não acredita em algo mais além), ocasionará uma incrível revolução!

Pode ter certeza que...SIM!

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

I’m Just walk along...



Há males, amar-lhes.

SATISFACTION!
OBSESSION!

Estão aí duas palavras que aparentemente não têm muito em comum.
Mas esses “ dias aí ”,de “dor de garganta”,febre, indisposição e mais UM TAAAAANTO de coisas, colocaram a minha “cachola” pra funcionar.
Como dizem: “Há males que vem para o bem”.
E descobri que, nem sempre, cabeça vazia é oficina do... você sabe quem...né? Uhauhauhha

Reorganizar, refletir,RE-Re-Refletir (gagueira)...e chegar a uma resposta só sua!

Ahhh, a resposta, “The answer”! Fresquinha, “quentinha feito pão de padaria!”
Não há sensação melhor!!!

Felicidade e satisfação, para que sejam “rotina”, é preciso a sua obsessão por elas!
Não aquela obsessão de quem “faz” e espera algo em troca, mas aquela obsessão de quem faz e consegue satisfação “apenas” no fazer... e você colhe os frutos disso.

Rotina faz bem! Rotina de felicidade faz bem!

Existem os “gênios” que já nascem com os mais variados Dons!
Existem coisas que já são “instintivas”, e outras nem tanto... e isso varia de pessoa para pessoa.
Para a maioria das pessoas: o que seriam delas se não tivessem sido obcecadas?
Mesmo que a contragosto para: estudar, o bebê que aprende a falar, a engatinhar, andar e depois correr! O músico que toca muito bem o seu instrumento ou o “gourmet” que prepara deliciosos pratos. Muito disso em nossas vidas são fruto da BUSCA INCESSANTE dessa “coisa”, a gosto ou a contragosto, ou por instinto.

Pq não a satisfação? Pq não a felicidade?

É possível.E chegar a uma conclusão só sua (ao menos momentânea) não tem preço!
Quando se ouve dizer: “A felicidade não é um destino final, mas saber apreciar a caminhada”.
Eu digo pra mim mesmo: “I walk along , I’m Just walk along”.

domingo, 31 de julho de 2011

Back to The future : Clássico da infância...



Esse é um clássico da minha infância, (quem tem mais de 21 com certeza já assistiu).
E engraçado como essas "coisas" da infância nos marcam por uma vida toda!!!
Engraçado sou eu ,de vez em quando, ainda pensar sobre escolhas que fiz/faço ou deixei de fazer, por causa desse filme.
Esse filme mostra muito bem o "poder de cada coisinha" que acontece em nossas vidas...
E que tudo depende da nossa postura diante das mais variadas ocasiões.

Pelo menos de algumas coisas nós temos controle né?
Deus é bom! o/ ^ ^

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Abstract "pretensioso" sem pretensão. ^^



A Vida é uma linha tênue entre a existência e o “caos”. A figura acima ilustra muito bem. A gente deve sempre estar em movimento, procurando o "equilíbrio”, para nos mantermos o maior tempo possível nessa aventura.É claro que na vida também existem variáveis que independem desse nosso esforço.Dar alguns passos para trás ou diminuir a velocidade,em muitos momentos se fazem necessários! Retornar nessa "linha”... Ahh... isso é perigoso, pra não dizer impossível.

Dê um passo de cada vez... não tenha pressa,medo é natural,mas também é preciso coragem nessa tentativa louca e "sem explicação" que é a nossa existência.(sem explicação entre aspas).

O que digo? se eu pudesse lhe deixar um conselho lhe diria: Aproveite a lua cheia! (Olha que linda!) aproveite a visão láaaaaa de cima...dê risadas,sinta o vento em seu rosto!
Mas isso também é outra história... e só terá algum significado pra você quando você "acordar" e perceber que "continuar essa caminhada" é inexorável.O real sentido está no que fazemos dessa caminhada: se fazemos dela uma coisa austera e difícil,ou se a levamos com leveza e paixão.

terça-feira, 19 de julho de 2011

"Nenhuma história se escreve sozinho"



Hoje após a “sesta depois do almoço” (posso me dar ao luxo, afinal estou de férias!), acordei com esta frase em mente: “Nenhuma história se escreve sozinho”. Isso a princípio pareceu óbvio... afinal vivemos em sociedade,e mesmo que vivêssemos “cada um por si”,escondidos em algum recanto do mundo,mesmo assim acredito que tudo influência a todos, como aquela história de “efeito borboleta”. Na teoria apresentada, o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo (algo assim... rs). De nossas vidas, somos os “principais roteiristas”,mesmo que em algumas épocas e momentos a gente não tenha consciência disso.
Hoje em dia consigo enxergar mais claramente o quanto somos fruto de nossas escolhas...
A gente não deve encarar a vida com “lados”,lado positivo e lado negativo das coisas,fracasso/sucesso...NÃO EXISTE PROTAGONISMO E ANTAGONISMO NA VIDA!
Encare a vida como um aprendizado, encare-a como algo que, para o seu próprio bem, você deverá aprimorar enquanto você respirar.
Para esse aprendizado somos insuficientes meu caro, ou minha cara... precisamos do outro que nos faça rir...as vezes que nos faça chorar,pra darmos mais valor ao sorriso...
Sim... precisamos uns dos outros, estamos todos no mesmo caminho, saiba você disso, ou não...e não existe atalho.
Todos querem ser felizes, mas nem todos enxergam as oportunidades... querem o Sol ou a lua,com isso esquecem de olhar as árvores ao seu redor.

sábado, 16 de julho de 2011

Há um tempo...


"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia! e se não ousarmos fazê-la...teremos ficado...para sempre...à margem de nós mesmos."

(Fernando Pessoa)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Vida: Viva!


"Uma mágoa não é motivo pra outra mágoa. Uma lágrima não é motivo pra outra lágrima. Uma dor não é motivo pra outra dor. Só o riso, o amor e o prazer merecem revanche. O resto, mais que perda de tempo...é perda de vida."

(Chico Xavier)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Poesia em forma de árvore...



Originária da Ásia, na cultura japonesa (chamada de Sakura no ki (桜の木)), sendo o significado de Sakura flor de cerejeira, a cerejeira era associada ao samurai cuja vida era tão efémera quanto a da flor que se desprendia da árvore. Já o fruto tem o significado de sensualidade. Por seu vermelho intenso e maduro, a cereja suculenta é talvez o exemplo mais proeminente.
A flor da cerejeira já foi considerada uma das flores mais belas, tanto pelo seu formato como pela delicadeza e espessura das suas pétalas. Na Índia essa flor é considerada sagrada, e nas casas que tem essa flor nunca falta nada, diz a lenda da flor de cerejeira da Índia.

Todos os anos, é sempre notíciado o florescimento das cerejeiras no Japão, flores que surgem uma vez ao ano e duram apenas uma semana, momento que é celebrado ao ar livre por lá, lembrando a preciosidade e transitoriedade da vida. Essa planta, chamada Sakurá pelos japoneses, é o símbolo da felicidade no Japão. O chá de pétalas de sakurá é utilizado em rituais como casamentos e ocasiões festivas.

Aqui no Brasil, podemos pensar no costume de dar flores em geral. Podemos ver que há presenteio de buquê de flores quando há nascimento de uma criança, assim como quando um homem quer conquistar uma mulher (seja num primeiro encontro ou após anos de casamento), assim como são enviadas coroas de flores quando há falecimento de um algum conhecido.

Vemos a presença das flores, portanto, em diferentes momentos da vida, no nascimento de uma pessoa, no nascimento (ou renascimento) do amor, na perda de alguém querida - na morte. A flor é um belo símbolo da transitoriedade, apontado que a vida implica em morte, e como as flores, um dia deixaremos de existir.

Há um texto poético de Freud chamado "Sobre a Transitoriedade" (vol. 14 das Obras Completas). Ele inicia o texto pelo relato de uma conversa com um amigo que também era poeta. Ao passearem pelo campo, num dia de verão, admiravam o esplendor da natureza. Contudo, o poeta admirava sem entusiasmo ou alegria, perturbado com o fato de que tudo aquilo estava destinado a morrer no inverno, da mesma forma que a beleza humana e todas as obras que fossem fruto do poder criativo dos homens sempre teriam um fim. Parecia-lhe que a transitoriedade tirava o valor daquilo que ele poderia amar ou admirar.

Freud, no entanto, acredita que a transitoriedade das coisas não tira o seu valor, pelo contrário, aumenta. Na sua visão, diferente da do amigo poeta, pelo fato daquela beleza um dia se extinguir, seu valor é aumentado. O famoso pensador se lamenta por não ter conseguido que o amigo se tocasse com suas considerações acerca da transitoriedade.

Freud então começa a questionar o que poderia ter levado o amigo a se fixar tanto nessa revolta contra a perda, e conclui que isso deveria estar ligado a nossa dificuldade de aceitar o luto, pela morte daquilo que amamos.

Somos muito apegados ao que amamos e nos é muito difícil dizer adeus ao que nos é muito precioso. Mesmo diante da guerra, que destrói vidas e lugares, Freud acredita ser possível manter nossa vontade de reconstrução mesmo diante do encontro com essa fragilidade da cultura - a destruição em massa.

Podemos supor que, ao nos darmos conta de nossas fragilidades - como da nossa dificuldade em nos desapegar das coisas, da nossa própria efemeridade, não precisamos recuar para o caminho da tristeza. Podemos, por outro lado, ficar mais cientes da transitoriedade e buscar lidar com as perdas e lutos com mais maturidade - já que fazem parte da vida, até que um dia possamos assumir nossa condição natural - sem tanta dor e pesar - de ser belos e efêmeros como a flor da cerejeira.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

"único e exclusivo"

"Ser cúmplice não significa fundir-se ao outro,
pois, cada ser é único e exclusivo, precisamos
ter a nossa individualidade, o nosso espaço.
Não podemos depender do outro, das suas ideias
e de seus ideais, compartilhar das mesmas sim,
porém, sem que isso seja uma imposição ou
obrigação.Cumplicidade é uma TROCA e não
única e exclusivamente uma DOAÇÃO.

Para ser cúmplice de alguém é preciso, antes,
ser cúmplice de si mesmo e se
conhecer.
Só quem se conhece, aprende a lidar com
próprios medos e fragilidades, sem esperar do
outro a solução dos seus problemas."

(Autor desconhecido)

domingo, 26 de junho de 2011

Do mundo não se leva nada...



Como canta esse "grande filóso" e comunicador contemporâneo,Silvio Santos:

"AGORA É HORA DE ALEGRIA(queria mesmo),VAMOS SORRIR E CANTAR, DO MUNDO NÃO SE LEVA NADA (vc que o diga né Silvio? lá se foi o baú...), VAMOS SORRIR E CANTAR!!!


“Ser feliz não é ter uma vida perfeita. Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Usar as perdas para refinar a paciência. Usar as falhas para esculpir a serenidade. Usar a dor para lapidar o prazer. Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.” (Augusto Cury)

Hugs!

sábado, 25 de junho de 2011

Amor: leia a bula! ou não...




O amor...
O amor que Camões descreveu...
Como algo assim nunca muda?
O amor não prescreve? Não caduca?
Às vezes sim... porém nunca!
Você entende né...

O fogo que arde sem se ver... e ferida que...doí!
E se senti sim... me desculpe Camões!
Mas as vezes não se senti...
O amor é algo assim mesmo: dúbio!
Mas quando é certo... é o Amoooooor!
Que mexe com “nossa cabeça” e nos deixa assim...
É remédio de tarja preta!
Que ninguém lê a “bula”.
Não sei se as pessoas usufruiriam se lessem a bula viu...
Amor pode causar de “felicidade histérica” e sensação de bem-estar, a náuseas, dor no peito, arritmia cardíaca, dependendo da dosagem...ou em crises de abstinência.
Mas amor com um conta-gotas é amor???
Acho que não.
Ninguém lê a bula...até por que o “amor é cego.”
Quantos efeitos colaterais meu Deus!

“Ainda que eu falasse a língua dos homens,e falasse a língua dos anjos...ninguém lê bula!”

Amor: ESTE MEDICAMENTO É CONTRAINDICADO EM CASO DE SUSPEITA DE DENGUE.


sexta-feira, 24 de junho de 2011

O amor que choveu.




Era uma vez um menino que amava demais. Amava tanto, mas tanto,que o amor nem cabia dentro dele. Saía pelos olhos, brilhando, pela boca,cantando, pelas pernas, tremendo, pelas mãos, suando. (Só pelo umbigo é que não saía: o nó ali é tão bem dado que nunca houve um só que tenha soltado).

O menino sabia que o único jeito de resolver a questão era dando o amor à menina que amava. Mas como saber o que ela achava dele? Na classe, tinha mais quinze meninos. Na escola, trezentos. No mundo, vai saber...uns dois bilhões? Como é que ia acontecer de a menina se apaixonar justo por ele, que tinha se apaixonado por ela?

O menino tentou trancar o amor numa mala, mas não tinha como: nem sentando em cima o zíper fechava. Resolveu então congelar, mas era tão quente, o amor, que fundiu o freezer, queimou a tomada, derrubou a energia do prédio, do quarteirão e logo o menino saiu andando pela cidade escura – só ele brilhando nas ruas, deixando pegadas de Star Fix por onde pisava.

O que é que eu faço? – perguntou ao prefeito, ao amigo, ao doutor e a um pessoalzinho que passava a vida sentado em frente ao posto de gasolina. Fala pra ela! – diziam todos, sem pensar duas vezes, mas ele não tinha coragem. E se ela não o amasse? E se não aceitasse todo o amor que ele tinha pra dar? Ele ia murchar que nem uva passa, explodir como bexiga e chorar até 31 de dezembro de 2978.

Tomou então a decisão: iria atirar seu amor ao mar. Um polvo que se agarrasse a ele – se tem oito braços para os abraços, por que não quatro corações, para as suas paixões? Ele é que não dava conta, era só um menino, com apenas duas mãos e o maior sentimento do mundo.

Foi até a beira da praia e, sem pensar duas vezes, jogou. O que o menino não sabia era que seu amor era maior do que o mar. E o amor do menino fez o oceano evaporar. Ele chorou, chorou e chorou, pela morte do mar e de seu grande amor.

Até que sentiu uma gota na ponta do nariz. Depois outra, na orelha e mais outra, no dedão do pé. Era o mar, misturado ao amor do menino, que chovia do Saara à Belém, de Meca à Jerusalém. Choveu tanto que acabou molhando a menina que o menino amava. E assim que a água tocou sua língua, ela saiu correndo para a praia, pois já fazia meses que sentia o mesmo gosto, o gosto de um amor tão grande, mas tão grande, que já nem
cabia dentro dela.

(Antonio Prata)

domingo, 12 de junho de 2011

La douleur, le mystère, l'amour...



"Ninguém ama outra pessoa só pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta. O amor não é chegado em fazer contas, não obedece a razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo. Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referências. Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca."
(Arnaldo Jabor)

Deixo essa música para VOCÊ,caro visitante do blog.
Esse música me passa uma magia,aquela sensação de "amor libertador",amor de poesia...que jamais sairá de "moda"...seja qual for a década,seja qual for o século...

http://youtu.be/SWSz_PAfgNc

Hugs!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Rogai por nós,por todos nós!



CARTA AO SER HUMANO

"Fui criado pelo mesmo Deus que criou você.
Sinto frio, fome, sede, medo, dor...assim como você.
Por favor, não me use para se divertir, não me exponha ao ridículo, não me humilhe, não me maltrate e nem abuse de mim. Só o que quero é a sua amizade e carinho. Não peço que goste de mim, mas somente que me respeite. Olhe nos meus olhos e depois olhe nos seus e verá como somos parecidos. No meu olhar você pode ver doçura, alegria, tristeza, desespero, amor ou sofrimento; e isso eu também posso ver no seu olhar! Por vontade do nosso Criador não posso falar e nem me defender da brutalidade e crueldade dos seus semelhantes, mas se eu pudesse falar agora, diria a todos que eu também mereço viver e sou digno de respeito, assim como você..."

Com carinho, Um animal.

"Não me interessa nenhuma religião cujos princípios não melhoram e nem tomam em consideração as condições dos animais"
Abraham Lincoln

domingo, 3 de abril de 2011

Spider Man in Juiz de Fora City!

Momento recordar é viver!
Ohhhh que saudade de ontem...
Mentira! Saudade de tudo não! De algumas coisas...
Enfim...a famosa nostalgia que mais dia ou menos dia a gente têm.

Estive revendo alguns CD's de backup e encontrei algumas montagens de quando eu ainda estava aprendendo a mexer no corel draw e photoshop.
Isso já tem um bom tempo...uns 7 anos?
Não sei...não me lembro muito!
Mas nessa época pude recordar que eu estava fissurado no cara das "teias".
Acho que isso fica evidente nessas montagens empoeiradas não é? (arquivo digital também fica empoeirado...)
abraços!






sexta-feira, 18 de março de 2011

Grupo Y-no - Querido meu amor

Muito legal,e engraçado tb... ^^
Confere aí o video clipe! ^^
Não duvido se tocar em alguma rádio brasileira...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Petição Pública - Reajuste salarial dos professores



PETIÇÃO PÚBLICA (ASSINE, por favor)

Professores podem ter o mesmo reajuste salarial dos senadores.

Os senadores Cristovam Buarque e Pedro Simon apresentaram em 16/12/2010, projeto de lei estendendo o mesmo reajuste salarial concedido aos senadores para o Piso Salarial Profissional Nacional para os professores da educação básica das escolas públicas brasileiras.
Com o reajuste de 61,78% do aumento dos senadores, o piso salarial dos professores passará de 1.024,00 para R$ 1.656,62, valor inferior ao valor pago aos parlamentares a cada mês: R$ 26.723,13.
Para o senador Cristovam Buarque, a desigualdade salarial é substancial, talvez a maior em todo o mundo, com conseqüências desastrosas para o futuro do Brasil.
Na opinião do senador, a aprovação do reajuste de 61,78% para os professores da educação básica permitirá, ao Senado, uma demonstração mínima de interesse com a educação das nossas crianças e a própria credibilidade da Casa.

ASSINE O ABAIXO-ASSINADO NO LINK:

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2010N4645

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Origem "highlander" de Silvio Santos.

Este video explica a "origem highlander" de Silvio Santos...além de mostrar que ele é humano é não um androide construido pelas indústrias "sbt" (society bionics trademark).

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

O que você está semeando em sua mente?



Lembre-se sempre das palavras de Gandhi, "Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas atitudes. Mantenha suas atitudes positivas porque suas atitudes tornam-se seus hábitos. Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores. Mantenha seus valores positivos porque seus valores tornam-se seus destinos".

Tenho observado que a maioria das pessoas se irrita quando algo não ocorre como planejavam ou gostariam. Às vezes isso acontece, mas a vida não precisa ser assim. Nem sempre as coisas correm como aquilo que pretendíamos, mas ficar mal humorado e tratar os outros como se eles fossem os culpados não é o melhor caminho.

Por isso se você ainda espera que algo ou alguém o salve de todos os problemas que criou em sua vida, esqueça, ninguém aparecerá para salvá-lo. O trabalho é seu, todo seu. Esse é o grande aprendizado desta era que se inicia.
Cada vez mais vejo as pessoas descarregarem nos outros aquilo que é somente culpa delas.

Isso acontece, pois nossos pensamentos têm papel fundamental na busca da qualidade de vida, diuturnamente, nosso cérebro é bombardeado por pensamentos, positivos e negativos, os quais achamos muitas vezes inofensivos. Até quando dormimos e o corpo está recuperando suas energias, continuamos pensando.

Mas o que fazer com os pensamentos negativos?Muitas pessoas não têm idéia do que fazer com eles, e assim eles permanecem na mente as assombrando. O segredo é substitui-los. Tente sempre substituir imediatamente pensamentos negativos por pensamentos positivos, como o pensamento é criativo, o que quer que acreditemos ser verdade na mente será manifestado ou criado na realidade. Lembre-se tudo começa com um simples pensamento.

Certa vez, Enrico Caruso, o grande tenor, foi assaltado pelo medo do palco. Contou que sua garganta ficou paralisada pelos espasmos causados pelo medo intenso, o qual lhe contraía os músculos da garganta. O suor começou a escorrer copiosamente pelo seu rosto. Estava envergonhado porque em poucos minutos teria de entrar em cena. No entanto, tremia de medo. E pensou: "Vão rir de mim. Não posso cantar". E, então, na presença das outras pessoas que se encontravam nos bastidores, Caruso gritou. "O Pequeno Eu quer estrangular o Grande Eu que há dentro de mim".E acrescentou para o Pequeno Eu: "Afaste-se, pois o Grande Eu quer cantar por meu intermédio", com isso afastou seu medo, estava tudo em sua mente.

Joseph Murphy em seu livro "O Poder do Subconsciente", encontrou uma maneira simples de exemplificar como funciona a mente, consciente e subconsciente. Considere-a como um jardim onde você é o jardineiro que fica plantando sementes (pensamentos) em seu subconsciente o dia inteiro. Na medida em que você semeia em seu subconsciente, terá colheitas em seu corpo, mente consciente e ambiente.

Quais são os seus pensamentos habituais? O que você está semeando em sua mente? Quem planta rosas colhe rosas, quem planta milho colhe milho, quem planta amor colhe amor, quem planta ódio colhe ódio, quem planta fracasso colhe fracasso, enfim seus pensamentos determinam sua atitude.
Aprenda a não se prender ao fatalismo, dizendo que tudo é o destino, que não adianta se esforçar. Isto é uma incompreensão das leis do pensamento. Você criou seu próprio destino pelos seus pensamentos e pelas suas ações.

O subconsciente não julga valores, mas procura a impressão que é deixada de agradável ou desagradável. Por exemplo, é mais provável repetirmos uma ação que o cérebro registrou como agradável do que repetir a que foi registrado como desagradável. É como se ficasse na nossa memória que fazer ou agir daquela forma traria um bom resultado, o que nem sempre é verdade, levando em consideração as circunstâncias.

Não estou fazendo apologia ao fato de que simplesmente o pensamento positivo irá resolver todos os seus problemas e lhe garantirá o sucesso, isso seria uma imensa irresponsabilidade. Senão bastaria deitar-se em uma rede e ter pensamentos positivos o dia inteiro que tudo se resolveria como em um passe de mágica. Isso somente acontece em filmes, na vida real, alem do pensamento temos que agir.Mexa-se. O pensamento é o ponto de partida não o de chegada.

Para você alcançar os seus objetivos é necessário ter consciência que o elemento principal é você mesmo, cultive cobranças interiores, elas são necessárias para se poder aprender mais na vida, mas não se torne refém delas. Aprenda a sentir e a valorizar as suas pequenas e grandes conquistas. Não se torne áspero somente porque as coisas não estão saindo como você deseja.Tudo tem seu tempo. Tempo de plantar, tempo de colher, cada semente tem seu tempo de maturação.

Voltaire, escritor e filósofo iluminista comparou a vida a um jogo de cartas. Os jogadores recebem um numero "x" de cartas. No entanto, uma vez com aquelas cartas em mão, somente eles é que escolhem como irão jogá-las. São eles que decidem que riscos correr e ações praticar.

Como são tantos os pensamentos que fluem em nossa mente, na maioria das vezes não nos damos conta do quanto somos invadidos por atitudes mentais destrutivas. Basta seguirmos um ínfimo pensamento negativo para desencadearmos uma série de dúvidas e frustrações! Nossos pequenos pensamentos negativos são como um vírus, que rapidamente se multiplica e cresce, contaminando assim nossas atitudes.

O pensamento é a causa e a atitude seu efeito direto. Suponha que você se proponha a fazer caminhada todos os dias nas primeiras horas da manhã.

Você, então, pode pensar como é aborrecido acordar cedo, sair da cama com sono e nas possíveis dores que a caminhada lhe proporcionará. Com este tipo de pensamento é muito provável que você nem levante da cama, enfim são auto-sabotadores. Agora, ajudaria muito pensar que durante a caminhada você poderia aproveitar para relaxar e descontrair a mente, que apesar de estar com um pouco de sono você possui muita energia física, que seus músculos vão responder bem aos treinos, que enfim terá uma oportunidade bem mais realista de chegar mais perto do seu objetivo.

Você concorda que esta maneira de pensar é bem mais eficaz do que a primeira?

Este é um exemplo do chamado pensamento positivo. A atitude mental positiva nada mais é do que enxergar o lado bom das coisas. É mudar o seu ponto de vista.

Você deve conhecer a historia do vendedor de calçados que foi enviado para a uma cidade distante e retornou justificando que não vendera nada, pois ninguém usava sapatos, já o segundo vendedor voltou eufórico com a oportunidade de vender sapatos para todo mundo naquela cidade, já que o mercado era totalmente inexplorado.

A atitude mental positiva é a maior arma que possuímos para vencer medos, cansaços, frustrações, descrenças, mentiras, etc. Ela gera atitudes positivas e atitudes positivas é tudo o que precisamos para alcançar nossas metas.

Pense nisso e sucesso!!!


Por Roberto Recinella.