quinta-feira, 22 de outubro de 2009

America Cantat - Brasil 2010



O EVENTO

Em 1992, quando se comemoravam os 500 anos da chegada de Colombo a nosso continente e o encontro de nossas diversas culturas com a cultura europeia, realizou-se a primeira edição do FESTIVAL AMÉRICA CANTAT – encontro pan-americano de coros – em Mar del Plata, Argentina.
O festival buscava promover a integração entre os povos e as culturas americanas através do canto coral. Por isso se transformou em itinerante e foi realizado em diferentes países do continente: Argentina (1992-1996), Venezuela (2000), México (2004) e Cuba (2007).

Agora é a vez do Brasil. De 7 a 15 de maio de 2010, Juiz de Fora receberá coros, grupos vocais, cantores e maestros de toda a América, que unirão suas vozes em um canto fraternal.
AMÉRICA CANTAT 6 está aberto a todos aqueles que querem participar de suas oficinas de corais temáticos, dos concertos vespertinos e noturnos, dos eventos culturais, mesas de debate, etc.


O que é America Cantat?

O America Cantat é um festival de coral internacional que reúne coros completos, grupos ou integrantes dos mesmos, diretores e estudantes de toda a América e de outros continentes para participarem de diferentes Oficinas de Preparação de Obras (OPO) junto àqueles que formarão o coro que trabalharão e executarão as obras do repertório proposto, tendo a direção de prestigiosos diretores do Continente Americano.É como se fosse um um "pan-americano ou copa américa": ao invés de ter algum tipo de esporte o que tem é canto coral,(assim fica mais fácil de entender né? heheh).
Nesse evento, também se realizarão diversos concertos – de Abertura, de Fechamento (para o qual os inscritos prepararão o programa), Oficiais (com a participação de coros convidados) e dos Coros Participantes que o solicitem. Ademais, se desenvolverão Jornadas de interesse para os inscritos, a cargo de relevantes expositores e conjuntos.
A esta programação se somam diversas possibilidades que a cidade de Juiz de Fora oferece para a concretização do festival e das distintas atividades sociais, como espetáculos, excursões, etc., que se realizarão para a confraternização entre os inscritos.

Pra quem gosta de música,principalmente para quem gosta de canto coral, esse será "O" evento.
Não Perca!!!

abraços

EL EVENTO

En 1992, cuando se conmemoraban los 500 años de la llegada de Colón a nuestro continente y el encuentro de nuestras diversas culturas con la cultura europea, se realizó la primera edición del FESTIVAL AMERICA CANTAT – encuentro panamericano de coros – en Mar del Plata, Argentina.
El festival buscaba promover la integración entre los pueblos y las culturas americanas a través del canto coral. Por eso se transformó en itinerante y fue realizado en diferentes países del continente: Argentina (1992-1996), Venezuela (2000), México (2004) y Cuba (2007).
Ahora es el turno de Brasil. Del 7 al 15 de mayo de 2010, Juiz de Fora recibirá a coros, grupos vocales, cantantes y maestros de toda América, que unirán sus voces en un canto fraternal.
AMERICA CANTAT 6 está abierto a todos los que quieran participar de sus talleres corales temáticos, de los conciertos vespertinos y nocturnos, de los eventos culturales, mesas de debate, etc.


¿Qué es America Cantat?


Es un festival coral internacional que reúne a coros completos, grupos o integrantes de los mismos, directores y estudiantes de toda América y de otros continentes, para participar en distintos Talleres de Preparación de Obras (TPO) en los que formarán el coro que trabajará y ejecutará las obras del repertorio propuesto, bajo la dirección de prestigiosos directores del Continente Americano.
En ese marco, también se realizarán diversos conciertos: de Apertura, de Clausura (para el que los inscriptos prepararán el programa), Oficiales (con la participación de coros invitados) y de los Coros Participantes que lo soliciten. Además, se desarrollarán Jornadas de Interés para los inscriptos, a cargo de relevantes expositores y conjuntos.
A esta programación se suman las diversas posibilidades que ofrece la Ciudad de Juiz de Fora para la concreción del festival y las distintas actividades sociales, espectáculos, excursiones, etc, que se concretarán para la confraternidad entre los inscriptos.

THE EVENT

It was in 1992, when the 500th anniversary of Colombo’s arrival to our continent and the junction of local and European cultures were being commemorated, that the first edition of the FESTIVAL AMÉRICA CANTAT (pan-American meeting of choruses) happened, in Mar del Plata, Argentina.
The festival sought to promote the integration of the peoples and cultures of the Americas through chorus singing. It was due to this that the festival became an itinerant festival. The festival has already been held in several countries of the American continent: Argentina (1992-1996), Venezuela (2000), Mexico (2004) and Cuba (2007).
Now it is Brazil’s turn. From the 7th to the 15th of May, 2010, Juiz de Fora will host choruses, vocal groups, singers and conductors from all of the Americas, who will join their voices in a fraternal song.
AMÉRICA CANTAT VI is open to everyone who would like to join its thematic chorus workshops, afternoon and evening concerts, cultural events, debates, etc.


What is América Cantat?

It is an international chorus festival that gathers complete choruses, groups or members of the choruses, directors and students from all of the Americas and from other continents to participate in different Workshops (Oficinas de Preparação de Obras – OPO) along with those who will be preparing and performing the works of the proposed repertory. These workshops are conducted by respected directors from the American continent.
The festival will also harbor several concerts: the Opening Concert, the Closing Concert (for which the enrolled participants will prepare the repertory), Official Concerts (in which invited choruses will participate), and Participating Chorus Concerts, as solicited by the participating choruses. There will also be relevant Conferences for those enrolled, ministered by respected expositors and groups.
In addition to the festival’s program, Juiz de Fora offers many other possibilities for the development of the festival and its social activities, such as shows, excursions, etc.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Documentário - Zeitgeist (2007)



“A vida é como um passeio num parque de diversões. Quando entramos nela pensamos que é real, porque esse é o quão poderosa nossa mente é.”
E o passeio sobe e desce e vai e volta, tem emoções fortes, felizes, tristes, e é brilhante e colorida. Há muito barulho e é divertido por uns momentos. Alguns já estão nesse passeio há algum tempo e começam a questionar: isso tudo é real? Ou isto é apenas uma viagem?
E algumas pessoas se dão conta e lembram-se, viram-se para nós e dizem:” Ei, não se preocupe, não tenha medo! Por que isso é só uma voltinha...” E nós matamos essas pessoas.”Calem – no! Eu investi muito nessa viagem,calem-no!”
Olhem para minha cara de preocupação! Olhem para minha conta bancária e a minha família. Isto tem que ser real.
É só uma voltinha...mas “matamos” sempre aquelas boas pessoas que sempre tentam nos dizer isso, já reparou???
E nos entregamos aos selvagens...
Mas não importa, porque é só uma viagem, e podemos mudá-la sempre que quisermos. É “apenas” uma escolha. Não esforço, nem emprego, nem profissão, nem poupanças, nem dinheiro.
Só uma escolha... entre o medo, e o amor.

Trecho do filme de Peter Joseph - Zeitgeist (2007)

Pode ser interessante para alguns, assustador para outros, ”manipulador” ou até mesmo “cômico”. O que posso dizer é que “esse documentário têm “mil faces”. Recomendo para quem gosta de coisas do tipo “teoria da conspiração”, e “bota piração” nisso...

Quer sabe a minha opinião? Não? Mas aqui vai assim mesmo: Acho que “manipulação por manipulação tudo é manipulação”.
Se eu pudesse pedir algo pra Deus eu pediria pra no “final dos tempos” assistir de camarote (rsrsrs) que fim vai levar essa “bagaça” chamada humanidade.

sábado, 3 de outubro de 2009

Live your Passion – Rio 2016



Antes de qualquer coisa tenho que dizer que fiquei feliz pela cidade do Rio de Janeiro ter sido escolhida como a sede da Olimpíada de 2016. Mesmo “sabendo” que o mundo vai “acabar” em 2012 --- segundo a profecia Maia, Asteca, discoteca, ou sei lá o que --- fiquei feliz que a cidade foi a escolhida. Estavam na disputa cidades imponentes como: Madri, Chicago, Tokyo... e o Rio.
Madri, cidade que já têm construídas mais de 80% das estruturas necessárias para a olimpíada, e o Rio com mais de 40% das estruturas para construir e/ou reformar. Chicago... terra de “Al Capone”...Rio terra de “Beira-mar”.Tokyo...cidade dos terremotos, Rio...cidade dos “arrastões”.
São claras as mazelas do Rio de Janeiro, elas são conhecidas internacionalmente. Com certeza já existem pessoas que falam que esses bilhões que serão investidos na Copa do Mundo e posteriormente na Olimpíada deveriam ser investidos em educação, saúde, segurança e blah...blah..blah,coisas que a gente “ta” cansado de saber que com ou sem Olimpíada, a priori, dificilmente seriam feitas.
Mas está aí, mesmo que seja para “turista” ver, eu acredito que o povo sairá ganhando. Acredito (quero acreditar) que com a Copa do Mundo de Futebol e com a Olimpíada de 2016 os benefícios sociais para o Rio e para o Brasil serão relevantes, mesmo que tais benefícios sejam para “turista” ver.
Sinto que no Brasil os séculos de colonialismo e posteriormente décadas de “politicagem” (corrupção), transformaram a maioria das pessoas em depreciadoras do “próprio lar”. Depreciadoras do “próprio lar”, mas que na verdade são ávidas por uma identidade, uma identidade “menos esquizofrênica”. Na verdade queriam que o “lar” fosse realmente um “lar”.
Não sei como é esta questão de “identidade cultural” nos outros países. Não sou sociólogo, muito menos estudioso da área, mas acredito que sediar uma Copa do Mundo, assim como uma Olimpíada, nos transforma (ao menos por um período) em cidadãos do mundo. Nos faz sentir pertencentes a “algo maior”,e não a um país cheio de mazelas sociais.
A propagando foi boa. Mesmo sabendo que a cidade já não é tão “maravilhosa” assim. Vendemos “nosso peixe”, “peixe” tirado da lagoa Rodrigo de Freitas... Aliás: lá tem peixe?

P.s: Sejamos francos, é “desesperador” o povo ter que depender de Copa do Mundo e de Olimpíada para “receber” o que merece.